A chegada do segundo filho

A chegada do segundo filho

A chegada do primeiro filho traz muitas alegrias e inseguranças. É um momento da vida em que a mulher para tudo o que está a sua volta e se dedica, quase que exclusivamente, àquele ser que depende dela para tudo. Para se alimentar, para dormir, para ficar limpo e confortável e assim a vida vai se desenvolvendo e lentamente o bebê se tornando independente. Até que em um determinado momento chega o segundo filho, que com ele traz novas alegrias, novas inseguranças e um sentimento de culpa por ter que dividir, seu tempo, seu coração e sua atenção, tirando daquele que até então tinha o privilégio da exclusividade.

Se por um lado é extremamente prazeroso você se sentir plenamente amada ao ser o alvo de uma “disputa por colo” por ciúme entre irmãos, é também extremamente difícil ver que por maior que seja o seu amor por eles, parece que não é o suficiente, que não vai preencher essa necessidade. Além disso constantemente você será cobrada por ter feito algo para um e não para o(s) outros.

Eu, Tati, passei por uma experiência muito marcante, quando eu descobri que estava grávida do meu segundo-filho, meu marido estava viajando e eu optei por esperar alguns dias até ele voltar e contar pessoalmente. No dia em que fiz meu exame, me lembro de chegar em casa (ainda meio eufórica e sem acreditar) e encontrar meu filho mais velho dormindo, na época ele tinha 1 ano e 2 meses. Quando eu me deitei ao lado dele, contei bem baixinho no ouvido dele que estava grávida, comecei a chorar e pedir perdão para ele por ter acontecido isso. Lógico que foi uma reação totalmente emocional, mas naquele momento veio um sentimento de culpa, porque a partir daquele momento existiria alguém entre nós.

E para você, como foi essa experiência?