A moda agora é dormir pouco. Será?

A moda agora é dormir pouco. Será?

Você sabia que as pesquisas da década de 40 mostram que um adulto dormia em média 7,9 horas por noite e agora esse número está perto de 6,75 horas?

Hoje em dia é comum o pouco tempo de sono ser usado como motivo de orgulho, como uma espécie de prova de que se leva uma vida extremamente agitada e produtiva. Está na moda fazer “Live” às 5h da manhã, além disso estão dizendo por ai que o segredo dos milionários é que acordam de madrugada.
E sabe que diferença isso faz na nossa vida? Toda, pois nosso relógio interno usa a claridade para programar quando estamos acordados ou dormindo. Mas a invenção da luz artificial mudou nossas vidas - e piorou nosso sono.

As consequências de sacrificarmos as horas de sono vão desde problemas de memória, maior propensão a infecções e obesidade até depressão.

Por isso a ciência tem pesquisado o sono e se é possível acelerar o estado de sono profundo para que as pessoas possam dormir melhor e mais profundamente em menos tempo.

A start-up francesa Dreem, por exemplo, produziu uma faixa (disponível por cerca de € 400 ou R$ 1,8 mil) que usa a estimulação auditiva para estimular o sono de ondas lentas, com uma configuração semelhante à dos experimentos científicos. Esse é apenas um dos futuros aparelhos que virão para ajudar muitas pessoas com problemas de insônia ou outras questões relacionadas a esse tema.

E você acha que tem dormido o suficiente? Conta pra gente.