As crianças e a separação dos pais

As crianças e a separação dos pais

Quando os adultos decidem se separar é um momento bastante delicado para toda a família, iniciam-se sentimentos como medo, angústia e dúvida de como será a vida a partir de agora. No momento em que duas pessoas escolhem se casar, ninguém pensa ou deseja uma separação, mas isso pode acontecer. Nesta situação é preciso cuidar, conversar e amparar os pequenos, pois esse é um momento que acaba trazendo pensamentos ruins e bem assustadores, afinal surge o medo de viver longe do pai ou da mãe.

O caminho é sempre conversar com as crianças, auxiliando-as a compreender que o papai e a mamãe sempre serão o papai e a mamãe e o que mudará será o fato de que ambos não serão mais namorados, dessa forma, morarão em casas separadas, mas sempre estarão presentes na vida das crianças. Após esse primeiro esclarecimento será necessário acolher muito essas crianças e ter paciência, pois virão diversas dúvidas e questionamentos. Se alguma delas vocês não souberem responder não tem problema, sinalize para as crianças que vocês vão pensar a respeito e que depois voltarão a conversar. O mais importante é manter uma postura acolhedora nesse momento.

Apesar da tristeza, o que as crianças mais desejam é ter a certeza que elas não perderão nenhuma das pessoas mais importantes para elas, que são os pais. Os pais são o círculo de confiança dos pequenos, são únicos e insubstituíveis. E é essa relação que precisa estar garantida, mesmo que esse casal que se separou esteja magoado, bravo ou com raiva um do outro, a entidade pai e a entidade mãe vão precisar continuar conversando para sempre.

Caso as crianças questionem o motivo da separação, é importante ter em mente que elas ainda são crianças, elas não precisam saber os motivos sob a perspectiva dos adultos, somente que os pais não se gostam mais como namorados. É importante preservar as crianças do motivo e seguir em frente, garantindo que elas tenham total liberdade para estar com um e com outro quando elas quiserem e precisarem.

Por fim, é importante que esse processo aconteça com muito respeito. Quando o divórcio acontecer, cada um deve se responsabilizar pela qualidade da relação que quer ter com seu filho ou filha. É fundamental que cada um faça a sua parte. Não conseguiremos poupar os filhos de ficarem tristes ou chateados, afinal toda criança deseja que o pai e a mãe fiquem juntos, mas podemos fazer com que essa nova configuração da família possa ser um lugar também de segurança para os pequenos.


Já conhece a loja da Escola da Mãe Moderna?
https://loja.escoladamaemoderna.com.br/