Bullying entre irmãos: quando a briga passa do limite?

Bullying entre irmãos: quando a briga passa do limite?

Em se tratando de bullying é muito comum a reação, por parte dos pais e familiares, quando acontece no ambiente escolar, com a exigência de providências por parte da escola e dos envolvidos. Mas o que parece estar cada vez mais em evidência e tem se tornado objeto de estudos, é algo que, na maioria dos casos, ainda é considerado como normal: a briga entre irmãos.

É sabido que faz parte do desenvolvimento infantil a disputa, entre os filhos, por atenção, espaço, brinquedos ou qualquer outra situação do dia a dia. Mas existe diferença entre conflitos construtivos e destrutivos. Há um limite, que é ultrapassado quando um dos filhos é sempre a vítima e a agressão tem a intenção de causar humilhação e dor.

Pode acontecer que um dos irmãos exerça a violência psicológica e física sobre o outro. O comum é que um dos mais velhos faça isso sobre um dos mais novos, mas o oposto também pode ocorrer.

As agressões podem se disfarçar em piadas, brincadeiras de mau gosto ou competições. Em muitos casos o agressor sente seu poder dentro da família ameaçado pela vítima, tem ciúmes e quer expulsar aquele que o importuna. No caso de meninos as "brincadeiras" de luta se intensificam cada vez mais.

Mas o que fazer para evitar?

- Estimular o diálogo e a busca por soluções (ao invés de impor o fim da briga).
- Ouvir e considerar os dois lados
- Jamais instigar a rivalidade entre irmãos (mesmo que seja com o intuito de ensinar o que irão enfrentar no mundo)
- Evitar comparações