Desenvolvendo a coordenação motora

Desenvolvendo a coordenação motora

Coordenação motora é a capacidade que o corpo tem de desenvolver um movimento. Nela ocorre a participação de alguns sistemas do corpo humano, como o sistema muscular, sistema esquelético e sistema sensorial. Com a interação desses sistemas obtêm-se reações e ações equilibradas.

A velocidade e a agilidade com que a pessoa responde a certos estímulos medem a sua capacidade motora. Podemos classificar a coordenação motora de duas maneiras: coordenação motora grossa e coordenação motora fina.

Coordenação motora grossa: uso de grupos musculares maiores e o desenvolvimento de habilidades como corrrer, pular, chutar, subir e descer escadas. Quando se tem déficit em alguma dessas habilidades, verificamos dificuldade em, por exemplo, praticar atividades esportivas, o que pode gerar uma baixa autoestima.

Coordenação motora fina: uso de músculos pequenos, como os das mãos e dos pés. Desenhar, pintar ou manusear pequenos objetos. São movimentos mais precisos e delicados. Desenvolver a coordenação motora fina é fundamental para habilidades que nos acompanharão para o resto da vida, como escrever. A escrita está ligada a esse tipo de coordenação, por isso é fundamental estimular e treinar desde que a criança é bem pequena.

Você sabia que, quando desenvolvemos a coordenação, colocamos em prática algumas competências fundamentais como atenção e sustentação dessa atenção, sequência, memória e imitação?

Exemplos de dicas de atividadades:

Coordenação Motora Fina:
👉Massinha: manusear, apertar, fazer bolinhas, promover movimentos de sobe e desce com os dedinhos.
👉Papel: amassar, rasgar, fazer bolinhas, dobraduras.
👉Fios e barbantes: treinar o movimento da costura, fazer colares e pulseiras com macarrão.
👉Pintura: com a mão, pincéis, esponja.

Coordenação Motora Grossa:
👉Correr
👉Pega-pega
👉Pular
👉Amarelinha
👉Colocar nessas atividades objetos que sirvam de complemento como bola, bambolee e corda.

É imprescindível que os exercícios estimulantes sejam aplicados gradativamente, respeitando a idade da criança. O aconselhável é que se promovam exercícios que sigam do mais fácil ao mais difícil.