Mais empregos para o público LGBTQI+

Mais empregos para o público LGBTQI+

Travestis e transexuais no Brasil seguem na luta pela inserção no mercado de trabalho. Por causa da identidade de gênero, a maioria das empresas seguem distantes da inclusão. Dados da Antra mostram que a situação é preocupante: cerca de 90% se prostituem no país.

Sem leis representativas que fomentem espaço no mercado de trabalho, pessoas transgênero dependem de iniciativas limitadas de algumas empresas brasileiras.

Dentre algumas iniciativas que estão mudando essa realidade, a Transempregos, criada em 2013, faz essa ponte e incentiva empresas a gerar oportunidades. Além disso o grande desafio dessa ONG é capacitar e ajudar a construir, nas empresas, um ambiente de trabalho mais humano e mais inclusivo.

O mundo corporativo, gradativamente, tem entendido que quanto maior for a diversidade no quadro de funcionários, colaboradores e parceiros, maior é a conexão da empresa com os seus consumidores e, consequentemente, melhores serão seus resultados financeiros.