Maria x Eva dois esteriótipos de mãe carregados de preconceito (Podcast)

Maria x Eva dois esteriótipos de mãe carregados de preconceito (Podcast)

Episódio 090

Porque a sociedade ocidental faz uma divisão entre Eva e Maria?

A maternidade sempre foi associada a imagem da pureza, da santidade, da entrega e da abnegação. Boa parte dessa associação remete a imagem de Maria, mãe de Jesus.  E quanto a figura de Eva? Uma mãe associada ao pecado e a erotização?

Pois é, sofremos as consequências dessa “falsa associação” até hoje, em forma de preconceito, machismo e julgamentos. A maternidade não é mais uma função obrigatória na vida das mulheres, como já foi um dia, mas a sociedade ainda cobra esse papel das mulheres por acreditar que a maternidade é um instinto e que toda mulher "nasceu" para ser mãe.

Com a mudança nas relações familiares, transformou-se também o papel exercido pela mulher mãe. Atualmente no Brasil 28,9 milhões de famílias são chefiadas por mulheres e segundo dados do IBGE em 2015, 31% das mães brasileiras eram solteiras.

Por trás de uma mãe há uma mulher, que na maioria das vezes, se sente sufocada pelos papéis que desempenha, que não conta com uma rede de apoio eficiente e que abre mão da sua vida, da sua carreira e dos seus desejos, em nome da família/filhos.

Até quando vamos viver essa realidade tão injusta?