Morte: como ajudar as crianças a compreenderem?

Morte: como ajudar as crianças a compreenderem?

Para muitas pessoas a morte é vista como algo antinatural e isso dificulta o processo de aceitação e compreensão deste momento. A morte precisa ser encarada com maior leveza e naturalidade, porque faz parte da vida.

Podemos ensinar o conceito de morte para as crianças fazendo uma associação e relação com a natureza. Por exemplo, explicando as estações do ano ou o ciclo das plantas, que tem começo, meio e fim. Um ciclo precisa se encerrar para que outro se inicie.

A morte de alguém querido é um momento bastante delicado, não só para as crianças como também para os adultos. É um momento no qual os adultos precisam refletir como se sentem a respeito dessa experiência. A noção de morte vem carregada da crença da família e do contexto que essa criança está inserida, então é importante que o adulto saiba no que ele acredita e em como ele lida com este assunto, para quando houver uma necessidade real de conversar com as crianças, essa conversa ocorra de uma maneira tranquila e natural.

Até os 07 anos, mais ou menos, a criança ainda não tem uma compreensão exata sobre o que é a morte, por isso é importante que se fale a verdade. Deve-se falar com amor e cuidado que a pessoa morreu, que não estará mais aqui, mas que sempre estará em seu coração, no seu pensamento e na sua lembrança. Não se deve dizer que essa pessoa foi fazer uma viagem ou que dormiu para sempre, pois isso confunde a criança, gerando um grande medo e insegurança. É importante que a criança entenda que a morte faz parte da vida.

Como os adultos, as crianças também passarão pelo processo de luto, vivenciando a raiva, a negação, a tristeza, para depois conseguirem aceitar e compreender.

Em relação aos rituais de passagem, como velório e enterro, é importante que se converse com a criança, explicando como acontece e deixar que ela decida, pois esse pode ser um momento muito forte. Além dessa conversa, é importante que os adultos criem os próprios rituais de passagem com essa criança, que pode ser um desenho, escrever uma carta ou qualquer outra atividade que auxilie ela a compreender o sentido do ritual de despedida. Isso vai ajudá-la a passar por esse momento e por essa etapa de uma forma mais tranquila.

O mais importante é que o adulto não tente tirar a criança dessa experiência. Tirando ou disfarçando nós não estamos protegendo, estamos impedindo que ela vivencie esse momento de uma forma natural, com as sensações e sentimentos esperados para o momento.


Já ouviu nosso podcast?
https://escoladamaemoderna.com.br/podcast/