Quanta culpa cabe em um coração?

Quanta culpa cabe em um coração?

Me perdoa filho!

Me perdoa se eu não sou uma mãe perfeita, se mesmo quando eu tento acertar eu erro, se eu grito com você, seu eu sinto raiva, se sou injusta, se as vezes eu me canso de ouvir você me chamar (pela milésima vez)... me perdoa simplesmente por eu ser assim, humana!

Quanta culpa cabe no coração de uma mãe? E as vezes me pergunto pra que e por quê mães carregam esse fardo tão pesado e que não ajuda em nada. O pano de fundo de todas as minhas atitudes é sempre o mesmo: criar meus filhos da maneira que eu acho certa. Quero que sejam felizes acima de tudo mas que se tornem homens educados, corretos, autoconfiantes, com a alma e o coração bem intencionados.

Mas para conseguir isso eu me sinto na obrigação de nunca desistir. Confesso que não é tão fácil falar todos os dias as mesmas coisas (sempre com a sensação que não me ouvem e as vezes parecem não dar a menor bola para o que eu digo). Saber exatamente como vão reagir (mal) em determinadas situações que se repetem dia após dia. No fundo eu sei que estão absorvendo tudo – mas no tempo deles, não no meu.

Talvez seja esse o meu grande aprendizado, confiar nos meus ensinamentos e respeitar o tempo deles. Mesmo que aos olhos do mundo eu continue sendo julgada, como todas as mães são, ora por ser “frouxa”, ”dura” ou “permissiva” demais.

Ouça mais o seu coração e vida que segue!