Uso dos celulares para acalmar as crianças

Uso dos celulares para acalmar as crianças

Você já deixou seu filho usar seu celular na tentativa de fazê-lo se acalmar ou ficar quieto? Em abril de 2016, pesquisadores americanos observaram que esse comportamento é bastante frequente e comum na maioria dos pais, mas notaram que, até aquele momento, nenhuma pesquisa ainda havia sido realizada à respeito.

Foram entrevistados 144 pais de crianças de 15 a 36 meses de idade. Pesquisas anteriores com pais haviam sido realizadas e identificaram que o sentimento de controle sobre o comportamento e desenvolvimento das crianças pode determinar como os pais estabelecem limites em relação ao uso dos eletrônicos.

Para esta pesquisa, os pais responderam um questionário no qual deveriam avaliar qual era a probabilidade deles permitirem o uso dos celulares ou tablets pelas crianças durante diferentes situações, incluindo acalmá-las, mantê-las quietas, no momento das refeições, em público, realizando tarefas domésticas e na hora de dormir.

Os resultados foram interessantes: 61,8% contra 38,1% das crianças recebem o celular ou tablet como uma ferramenta para acalmá-los e 69,6% contra 51,2% das crianças recebem no intuito de manter a paz e a tranquilidade em casa. Nas outras situações como comer, estar em público, fazer tarefas ou dormir não houve diferenças.

Esta análise demonstrou que o aumento das dificuldades emocionais das crianças pequenas e a tendência dos pais em utilizarem a tecnologia para acalmá-los ou mantê-los quietos, expressam uma sensação dos pais de ter um menor controle sobre o comportamento e desenvolvimento dos filhos. Entretanto, o inverso também pode explicar esse achado, a tecnologia afetando o desenvolvimento emocional das crianças, ou seja, a frustração levando a criança ao uso da tecnologia como estratégia de enfrentamento. Outras pesquisas longitudinais ainda precisam ser realizadas para uma melhor análise, mas estes dados já indicam que precisamos ficar ainda mais atentos a esse fato.

E você, o que achou dessa pesquisa?